Trochiliformes steti

14/01/2011

Mundo olha perplexo para os lados. Voltou. Não se sabe o que aconteceu. Por apenas segundos tudo ficou divagar a ponto de ver-se toda a beleza da batida de asas de um beija-flor. A maioria escondeu-se na sua falta de vida e admirou o fato como algo estranho, mas não essencial a conversa diária de pão ou influenciar no lançamento internacional da mais nova bugiganga que se perderá no tempo. Menos aos adoradores da maçã.

Algumas mentes ainda interessadas nas pequenas questões fundamentais procuram soluções óbvias e simples. Como para todo bom mistério. Algo que seja de acordo com as normas e padrões. Não encaixava se em nenhum prognóstico de improbabilidades. Aos poucos se viraram para tópicos de extrema importância vital a alimentar os egos exibindo conclusões sobre obviedades inéditas.

Profecias tampam o buraco para pessoas que não querem a verdade, querem a certeza. Caíram aos guetos pelo tempo. 148 não é um número atraente. Pequenos conspiradores em seus quartos pouco ventilados têm toda a ligação feita por barbantes coloridos, dificílimos de serem achados, e jornais com o resultado das loterias virados contra uma parede imunda. Alguém, não ele, teve muita sorte.

Essa diminuída no compasso do mundo não mudou a vida de muitos. Apenas 5 pessoas. Um trabalhador belga que naquele exato momento olhou mais atentamente ao seu prato de jantar e o recusou. O tirando da lista de casualidades por envenenamento alimentar. Ajudou uma nova senhora australiana que nos momentos de folga, joga saudosismo em forma de barbudos encanadores a alcançar aquele pixel exato. Um leitor de auto-ajuda barata percebeu que é um leitor de auto-ajuda barata, com as conseqüências imagináveis que chatearam muito sua mãe pela enorme bagunça no seu novo fogão.

O Mundo continua a parar constantemente. Não como aquela vez. Nunca mais como aquela vez. Melhor? Sim. Agora se tem a verdade na ponta da língua. Não intrigasse mais. Sabe-se tão bem que acelera. Acelera como as asas do beija-flor que tem única função o parar o Maximo de tempo. Nunca pela ultima vez.

Anúncios

2 Responses to “Trochiliformes steti”

  1. Dani Takase Says:

    Oi Victor, não sabia que você era belga. Mas recusar pão doce com orégano é negar uma experiência gastronômica única. Ainda mais na janta.
    Parabéns. [e ninguém descreve Mário assim(?)]

  2. Bianca F. Says:

    Obrigada pela parte que me cabe. n.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: